REQUISITOS – “Eis-me Aqui, Envia-me a mim!” Mestre Jesus

ENSINAMENTOS DOS MESTRES ASCENSOS DA GRANDE FRATERNIDADE BRANCA:

- JESUS

Requisitos

“Eis-me Aqui, Envia-me a mim!”

Querido e Amado Mestre Ascenso Jesus, o Cristo

Aos Guardiães das Verdades Eternas – Kuthumi e eu falaremos agora sobre discipulado. Reis e príncipes podem viver em palácios de mármore e dormir bem protegidos durante esta vida mortal, mas o verdadeiro discípulo vive não só para ser protegido, mas para proteger as verdades eternas do Pai celeste de qualquer profanação.

Que as palavras: “Vigiai e orai!”1 sejam lembradas hoje – pois o perigo sob a forma de carma, individual ou mundial, ainda espreita a Terra e aqui permanecerá até que a vitória final seja alcançada. Com o serviço diário à Luz, muito é transmutado e o serviço de Deus prospera. Servir a causa da liberdade por amor a Deus e à humanidade é a meta definitiva de muitas pessoas sinceras, mas poucos realizam o verdadeiro discipulado.

Nosso propósito nesta série de instruções da Universidade do Espírito sobre o discipulado é ajudar os que desejam aprender a ensinar aos homens o Caminho, e desta forma alcançar maior iluminação e novas formas de servir na sua missão pessoal. Desejamos trazer o brilho da iluminação divina às páginas sagradas das vidas dos devotos para que o pão concedido pelos céus seja o Verbo vivente na Terra.

Primeiro, o candidato a discípulo aprende a esquecer de dar importância à sua personalidade e aprende a lembrar-se de que Deus o estima muito. Que grande desperdício é a dissipação diária de energia gasta na defesa do ego e das suas características fantasiosas. O amado Saint Germain disse, em sua encarnação como Francis Bacon: “O mundo inteiro é um palco, todos os homens e mulheres não passam de atores. Têm suas entradas e saídas e um homem em seu tempo representa muitos papéis.”

Lembrai-vos das palavras de Marta a respeito de Maria: “Maria escolheu a boa parte” – e que os meus discípulos atuais aprendam também a escolher a boa parte no palco da vida, para que a representem bem. Dedicai-vos a expressar ideais mais nobres em caracterizações mais divinas, seguindo desta forma a senda que leva à Vida vitoriosa – a vossa ascensão na Luz, alcançada com a vitória sobre todas as manifestações discordantes na entrada de Emaús do discipulado dedicado.

É compreensível que, para a pessoa acostumada à vida comum, a estrada do discipulado que leva à cristicidade pessoal pareça no começo estranha ou difícil. Aqueles cujos corações arderam com o desejo pela proximidade com Deus acharão a senda menos difícil e certamente menos trabalhosa do que a larga senda do materialismo. Se forem constantes, garanto que receberão um prêmio incomparável ao final da jornada.

A minha afirmativa: “Nem só de pão vive o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”, precisa ser aplicada para a compreensão das leis de Deus ao viverdes como um filho de Deus. Viver segundo padrões materiais, mesmo que elevados, não pode de maneira alguma ligar os nossos discípulos à puríssima vibração da compaixão espiritual que, de tal forma reverencia a Palavra de Deus, que cada momento é percebido como uma oportunidade de declarar-se um exemplo vivo – uma revelação viva de Deus, interpretando Deus para a humanidade, não por meio das idéias terrenas vãs nem da imponência da prosa elaborada, mas expressando com sucesso, aqui e agora, a encarnação divina.

O conceito do ser humano como filho de Deus e como uma manifestação divina faz parte do chamado mais elevado concedido a todas as almas que vêem ao mundo – mas poucas descobriram este chamado. Por ele, cada discípulo deve considerar-se merecedor de Deus para que possa ancorar-se na Grande Lei que, então, caminhará na Terra por meio dele, na pura Pessoa do seu amado Cristo Pessoal. Ao compreender que o ser humano criado à imagem de Deus não é uma criatura pecadora mas um ser divino, ele será capaz de perceber o Corpo do Senhor.

As palavras que eu disse a Pedro: “Simão, filho de João, amas-me mais do que estes [a rede cheia de peixes grandes]?” destinava-se a ensinar aos meus apóstolos, e aos muitos outros discípulos que seguiriam os seus passos, que aprender a amar a Deus acima de tudo é um pré-requisito para o discipulado.

Resumindo as condições citadas anteriormente: deixai de lado o desejo de auto-engrandecimento e cultivai o modelo que permitirá à vossa Divina Presença exaltar-vos na hora apropriada. Evitai desperdiçar a vossa energia na autodefesa estéril; ao contrário disso, entregai a vossa proteção total aos grandes mestres e seres cósmicos, enquanto exercitai o bom senso ao caminhardes corajosamente pela senda da sabedoria frente à humanidade.

Escolhei a melhor parte – o coração ardente do buscador. Aprendei a viver para expressar a palavra de Deus todos os dias discernindo o Seu Corpo (o Espírito da graça e da glória) e, então, segui este amor aonde quer que ele vos leve, sabendo que não fostes criados para servir à matéria mas ao pão vivo que veio do céu, que é o Verbo encarnado em vós, testemunhando a vossa origem espiritual como filho de Deus.

Existem incontáveis pessoas dedicadas que, com freqüência, ocupam a sua energia sob premissas erradas. Muitos acreditam que, se seus motivos forem bons, alcançarão – mesmo que seus preceitos sejam declaradamente errados. Que eles possam ser lembrados das palavras de São Paulo que, bem depois da sua iluminação por mim na estrada de Damasco, declarou: “O fogo provará qual seja a obra de cada um… Se a obra de alguém se queimar, sofrerá perda; o tal será salvo, todavia como pelo fogo”. Portanto, em seu ensinamento sobre o carma, Paulo também percebeu a grande necessidade do refinamento permanente da compreensão espiritual da pessoa como a base sólida para a doutrina correta e obras dignas de mérito divino – mesmo depois do encontro direto com a minha Presença.

Abençoados, bons motivos são melhores do que maus motivos, é claro; mas a ação purificadora do fogo sagrado deve e precisa preservar as qualidades do Bem (semelhantes a Deus) e restabelecer (transmutar) tudo o mais à sua perfeição original, fazendo com que as correntes retornem à Fonte Divina de onde vieram.

Ao buscardes a responsabilidade do servo ministrante, que vem com o discipulado avançado, deveis estar cientes de que a energia abusada pelo livre-arbítrio humano e expressa em discórdia é uma perda permanente para aquela corrente de vida; se ela houvesse sido qualificada de forma correta, poderia ser contada como um registro de boas obras no depósito do corpo causal. Uma vez que a energia foi mal qualificada, ela retorna a Deus sem o selo da qualificação pessoal positiva – uma oportunidade perdida para expandir o reino de Deus e, de forma correspondente, a Sua consciência dentro de si mesmo.

A Verdade e o Amor existem para sempre; portanto, o que quer que construís que não seja sobre a rocha da Verdade Crística será totalmente apagado pela torrente do Amor Divino, que leva de volta à Origem toda a energia que precisa de purificação. Os momentuns impuros da consciência humana não podem mover a rocha da Divindade, contra a qual “as portas do inferno não prevalecerão!”

Em verdade vos digo, as minhas palavras não passarão, e cada discípulo que se ancorar da eterna Verdade de Deus viverá também para sempre.

Percebeis, abençoados corações, que o verdadeiro discipulado nunca pode ser falsificado? Ele precisa aprofundar-se para além da mente superficial e reter qualidades sólidas no núcleo do ser. Nunca podereis enganar o vosso Eu Verdadeiro, e o discípulo genuíno nunca tentará fazê-lo. Disso podeis estar certos – que discípulos ainda nascem, são criados e deles se pede com urgência nesta hora que transmitam a minha palavra, radiação e poder do fogo sagrado às crianças de Deus.

O céu não vos desprezará! Lembrai-vos da minha parábola da ovelha perdida16. Que esta oportunidade de discipulado – aprender a ensinar aos homens o Caminho – seja considerada como a oportunidade mais elevada e nobre, exaltando cada faceta da consciência de Deus no vosso ser. Não é impraticável ser discípulo dos grandes mestres, um estudante das disciplinas da Grande Fraternidade Branca. Na verdade, todos os chamados menores devem empalidecer quando comparados à Verdade do Chamado do vosso Cristo.

Aos que dentre vós desejarem ser meus discípulos hoje, digo-vos, que estas palavras dos nossos corações dêem início a um ressurgimento das vossas aspirações espirituais. Sabei que, para Deus, todas as coisas são possíveis e que podeis e deveis ser chamados daquilo que sois na realidade – Filhos do Altíssimo.

Inicialmente, deveis estabelecer um sentimento abençoado de realidade e tangibilidade das bênçãos que podeis alcançar e conceder aos outros, como um verdadeiro discípulo da grande Fraternidade de Luz de Deus.

(…)

JESUS

Fonte:  págs. 195-199, do Livro “Universidade do Espírito”, Discipulado, Lição 25 da Universidade do Espírito – Requisitos –“Eis-me Aqui, Envia-me a mim!” Mestre Ascenso Jesus, o Cristo

NOTA: “Esta página divulga os Ensinamentos dos Mestres Ascensos da Grande Fraternidade Branca, recebidos pelos Mensageiros Mark L. Prophet e Elizabeth Clare Prophet.”

1459075_616961791700274_1408674675_n

Advertisements

About Nelson Nalini

Estudante dos Ensinamentos dos Mestres Ascensos da Grande Fraternidade Branca / Summit Lighthouse / Summit Lighthouse do Brasil / Fraternidade dos Guardiães da Chama. http://www.guardiaesdachama.com.br/

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

Ensinamentos dos Mestres Ascensos

This WordPress.com site is the cat’s pajamas

Blog do Renato Nalini

Ex-Secretário de Estado da Educação e Ex-Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo. Ex-Presidente e Imortal da Academia Paulista de Letras. Membro da Academia Brasileira de Educação. Atual Reitor da UniRegistral. Palestrante e conferencista. Professor Universitário. Autor de dezenas de Livros: “Ética da Magistratura”, “A Rebelião da Toga”, “Ética Ambiental”, entre outros títulos.

The Daily Post

The Art and Craft of Blogging

The WordPress.com Blog

The latest news on WordPress.com and the WordPress community.

%d bloggers like this: