Archive | February 2016

“UM SIMPLES ATO DE COMPAIXÃO PODE TRANSFORMAR INSTANTANEAMENTE O INFERNO NO CÉU!”

ENSINAMENTOS DOS MESTRES ASCENSOS DA GRANDE FRATERNIDADE BRANCA:

CHAMA VIOLETA TUBO DE LUZ

“UM SIMPLES ATO DE COMPAIXÃO PODE TRANSFORMAR INSTANTANEAMENTE O INFERNO NO CÉU!”

Em seu livro Legacy of the Heart, Wayne Muller relata uma lenda vietnamita que mostra como a mudança de perspectiva pode transformar uma situação aparentemente insolúvel numa oportunidade maior de dar e receber amor. “No inferno, todos têm comida em abundância e pauzinhos de comer com cerca de um metro de comprimento”, diz a lenda. “Todos têm o alimento de que necessitam mas, como os pauzinhos de comer são longos demais, não conseguem levar o alimento à boca.

“No céu, a situação é exatamente a mesma: Todos têm o alimento de que necessitam e seus pauzinhos de comer também são longos. Mas, no céu, as pessoas usam os pauzinhos para alimentarem umas as outras. Um simples ato de compaixão pode transformar instantaneamente o inferno no céu.”

Fonte: pág. 15, livro “A alquimia do Coração” – Aumentando a capacidade de amar e ser amado; Elizabeth Clare Prophet e Patrícia R. Spadaro, Editora Nova Era

NOTA: “Esta página divulga os Ensinamentos dos Mestres Ascensos da Grande Fraternidade Branca, recebidos pelos Mensageiros Mark L. Prophet e Elizabeth Clare Prophet.”

BRASIL - PRESENÇA LUZ

“…ABRIU O SEU CORAÇÃO E A SUA BOLSA!”

ENSINAMENTO SOBRE FRANCISCO DE ASSIS:

KUTHUMI 1

“…ABRIU O SEU CORAÇÃO E A SUA BOLSA!”

 

O mesmo acontece com o amor. O segredo para atrairmos aquilo que desejamos é começar a nos tornarmos daquela maneira. Em vez de desejar ser amado, devemos ser amorosos. Se desejarmos aumentar a nossa capacidade de dar e receber amor, devemos começar dando mais amor aos outros.

Force-se a fazê-lo! Faça algo que não deseja fazer. Foi isso que São Francisco fez – e mudou a sua vida.

Filho de um rico comerciante, Francisco sempre teve horror aos leprosos. Evitava-os quando os via aproximarem-se e até pedia azos outros que lhes desses as suas esmolas. Um dia, Francisco cavalgava numa curva da estrada quando se deparou com um leproso coberto de chagas. A visão e o cheiro terrível do homem causaram-lhe repulsa.

Seu primeiro impulso foi dar a volta no cavalo e fugir. Olhou para si mesmo e percebeu que não podia fingir amar a Deus e dar as costas a alguém que precisava de ajuda. Dessa oportunidade, em vez de se deixar que a aversão tomasse conta dele, abriu o seu coração e a sua bolsa. Francisco desmontou e, quando se aproximou para dar a esmola, beijou e abraçou o leproso.

O encontro de Francisco com o leproso foi um momento que mudou a sua vida. Ele foi transportado por essa experiência e sentiu que havia vencido uma grande fraqueza. “tudo ficou tão mudado para mim que o que antes parecia doloroso e impossível de vencer, agora, havia-se tornado fácil e agradável”, escreveu mais tarde.

Esta não é só uma lenda sobre a vida de um santo. É uma lição sobre como dar início ao processo de alquimia do coração. Existe algum “leproso” na sua vida que precisa do seu amor – alguém que lhe repugna ou algo que, com certeza, não quer fazer? Esta pessoa ou situação são, provavelmente, mensageiros do amor que vieram lhe mostrar que o seu coração precisa se esforçar um pouco mais nesta ou naquela direção.

Como disse Rumi, existir como ser humano é como viver numa “casa de hóspedes”. Todas as manhãs chega alguém novo, um novo mensageiro. Precisamos dar as boas-vindas até mesmo ao sofrimento que adentra de forma violenta e arrasta consigo toda a mobília, avisa o poeta, pois este hóspede pode estar abrindo espaço para algo novo e maravilhoso. “Seja grato por tudo o que lhe acontecer”, diz ele, “porque cadea coisa foi enviada como uma orientação do alto.”

Esta atitude de abrir o coração e aceitar a pessoa ou a situação de dor pode ser uma das experiências mais transformadoras pela qual poderemos passar. Poderá ser também a que requer mais coragem, pois são necessárias coragem e vontade para amarmos. O amor exige coragem porque nos força a caminhar por um território desconhecido. Mark Prophet costumava definir coragem como “coeur-age” – a chegada da era do coração (a palavra francesa significa “coeur” significa coração e a palavra inglesa “age” significa era). A coragem é o desenvolvimento do amor e da sabedoria do coração que nos torna ousados para fazer o ato correto, honrado e necessário, mesmo que temporariamente desconfortável.

(…)

Fonte: págs. 21-23, livro “A alquimia do Coração” – Aumentando a capacidade de amar e ser amado; Elizabeth Clare Prophet e Patrícia R. Spadaro, Editora Nova Era

NOTA: “Esta página divulga os Ensinamentos dos Mestres Ascensos da Grande Fraternidade Branca, recebidos pelos Mensageiros Mark L. Prophet e Elizabeth Clare Prophet.”

http://www.summit.org.br/

1013307_10201887020801779_779764979_n

Ensinamentos dos Mestres Ascensos

This WordPress.com site is the cat’s pajamas

Blog do Renato Nalini

Secretário da Educação do Estado de São Paulo, Imortal da Academia Paulista de Letras e Membro da Academia Brasileira da Educação.

The Daily Post

The Art and Craft of Blogging

The WordPress.com Blog

The latest news on WordPress.com and the WordPress community.